Blog

Automação fiscal para Centros de Serviços Compartilhados: quais as vantagens?

Tempo de leitura: 3 minutos

Os Centros de Serviços Compartilhados (CSC) são uma forte tendência que está em evolução constante. E a incorporação da tecnologia nos processos pode ser um grande diferencial.

Quando focamos nas atividades fiscais, é impossível falarmos sobre potencialização de performance sem citar a automação fiscal. Essa é uma tecnologia que traz ganhos de tempo, qualidade e organização dos processos.

Quer entender melhor as vantagens da automação fiscal para Centros de Serviços Compartilhados? Então, confira logo a seguir!

Imagem de Gerd Altmann por Pixabay

A evolução tecnológica dos Centros de Serviços Compartilhados

Segundo dados levantados pela revista Fortune, 90 das 100 maiores empresas do mundo já adotam Centros de Serviços Compartilhados. E desde o surgimento desse conceito até os dias atuais, podemos visualizar uma grande evolução na forma de gestão – especialmente com a incorporação da tecnologia.

O Robotic Process Automation (RPA) é uma tecnologia que permite a automação de diversas tarefas repetitivas, integrando-se a diferentes processos do negócio. A partir disso, as organizações conseguem elevar a sua eficiência e acelerar a sua transformação digital.

Pesquisas estimam que cerca de 70% a 80% de processos empresariais baseados em regras (padronizados e pouco flexíveis) podem ser automatizados. Isso pode levar a uma economia de até 80% nos custos relacionados aos processos.

Para os Centros de Serviços Compartilhados, esse é um ponto de destaque. São várias as rotinas que podem ser automatizadas para obter esses ganhos – incluindo as atividades do departamento fiscal.

Por que investir na automação fiscal?

A automação fiscal pode gerar benefícios para empresas espalhadas por todo o mundo. Mas, no Brasil, isso é ainda mais evidente por conta de toda a complexidade do sistema tributário. Ou seja, explorar a tecnologias nessas atividades gera ganhos de performance ainda maiores.

Na prática, a automação gera muitos benefícios:

  • Aumento da produtividade: sem a necessidade de realizar todos os processos manualmente, é possível eliminar drasticamente o tempo gasto pelos profissionais do setor fiscal. Com base nisso, eles podem se dedicar a outras tarefas e aumentar a produtividade.
  • Redução de custos: com a automação fiscal você consegue evitar atrasos no pagamento e também situações de pagamento de guias em duplicidade – gerando uma diminuição de despesas.
  • Redução de falhas humanas: ao automatizar os processos relacionados ao pagamento de tributos e execução de outras obrigações, torna-se possível reduzir as chances de falhas humanas – como erro de digitação ou esquecimento de um prazo para pagamento.
  • Padronização de processos: com a incorporação dos processos automáticos, torna-se mais fácil padronizar os procedimentos internos do departamento fiscal.
  • Compliance fiscal: como consequência dos demais benefícios, você garante o compliance fiscal da sua organização e tem mais segurança no desenvolvimento de suas atividades.
Emissão de guias

Como escolher um software de automação fiscal?

Acabamos de ver diversos benefícios da automação fiscal para os Centros de Serviços Compartilhados. Mas a grande questão é: como escolher o melhor software de automação fiscal?

Aqui estão algumas dicas que vão ajudá-lo a tomar a decisão certa:

1. Atividades automatizadas

O primeiro passo para tomar a melhor decisão é focar na automação das principais atividades do departamento fiscal. Elas incluem o pagamento de tributos, gestão de certidões negativas e gerenciamento de Domicílios Tributários Eletrônicos (DTEs).

Os ganhos da automação fiscal para Centros de Serviços Compartilhados se tornam muito grandes quando todas essas rotinas podem ser desenvolvidas automaticamente em uma única plataforma.

2. Tempo para implementação do sistema

Geralmente, o tempo de implementação vai depender do volume de operações executadas no dia a dia do setor fiscal. Porém, quanto mais rápido for esse processo, antes você pode começar a automatizar os processos para obter os benefícios.

3. Custo-benefício da ferramenta

O valor do sistema geralmente depende da volumetria de documentos emitidos por mês. Uma comparação com os benefícios que você pode obter é uma ótima maneira de escolher o melhor software de automação fiscal.

4. Facilidade no uso

De nada adianta um sistema repleto de funcionalidades se os seus funcionários não conseguiram utilizá-las, não é? É preciso priorizar um software com interface simples e intuitiva.

Além disso, avalie se o seu parceiro fornece treinamento para novos clientes (conhecido como Onboarding) e tem uma equipe de suporte dedicada e atenciosa.

5. Segurança do sistema

Por lidar com informações importantes da sua empresa, você deseja contar com um sistema que mantém todos os dados protegidos e criptografados – usando tecnologias para garantir a segurança de todos os usuários.

Você já conhecia todas as vantagens da automação fiscal para Centros de Serviços Compartilhados? Quer entender como essa tecnologia pode ajudar sua empresa a reduzir custos? Então, saiba mais sobre as soluções fiscais da Dootax.

Compartilhe
Sobre o autor

Alessandra Muniz

Deixe uma resposta

Posts relacionados

Nova Lei de Recolhimento de ISS
Nova Lei de Recolhimento de ISS

Você gostaria de entender melhor sobre a nova lei de recolhimento de ISS? Então, confira ao longo deste artigo.

Automação das Notas de Serviços Tomados
Automação das Notas de Serviços Tomados

As Notas de Serviços tomados são necessárias em diversas situações para uma organização. Confira como você pode simplificar esse processo.

Secretaria da Fazenda do Pará anuncia avanços no projeto NFC-e
Secretaria da Fazenda do Pará anuncia avanços no projeto NFC-e

No primeiro dia das discussões plenárias do 52º ENCAT, representantes da Secretaria da Fazenda do Pará apresentaram os avanços do Estado no desenvolvimento da NFC-e, mas ainda não há previsão para obrigatoriedade.

Escritórios