Soluções fiscais – Dootax

Blog

Imposto sobre valor agregado (IVA) e o que podemos aprender com a Nova Zelândia

Há tempos o Brasil debate a necessidade de uma reforma tributária e a criação de um imposto sobre valor agregado.

Entretanto, as consequências humanitárias e econômicas causadas pela pandemia do novo coronavírus mudaram a atenção e, por consequência, os objetivos de todos de uma maneira sem precedentes na história recente.

Apesar de o foco dos jornais ser outro, o debate não pode parar. Com o surgimento de uma nova crise é preciso um sistema tributário consolidado para trazer mais competitividade ao país e fortalecimento de renda para os que mais precisam.

Sendo assim é importante mirar em referências de sucesso, como, por exemplo, a reforma tributária realizada na Nova Zelândia. O país passou por uma grave crise que atingiu seu ápice nos anos 80, quando os neozelandeses vivenciaram altos índices de desemprego.

Porém, após uma série de medidas, entre elas uma reforma tributária bem-sucedida, a Nova Zelândia pôde superar as dificuldades e hoje é considerada um dos melhores países para se fazer negócios.

Muito desse sucesso se deve à implementação de um imposto de valor agregado, também conhecido no Brasil como IVA. Um tributo unificado que simplifica a arrecadação, diminuindo a burocracia.

E para contar um pouco dessa história, a Dootax convidou Julia Padula, que hoje é Group Tax Advisor da Fisher & Paykel Healthcare. Ela é formada em economia, estudou na Universidade de Auckland e vive na Nova Zelândia há mais de 5 anos.

A Julia bateu um papo com nosso Co-founder & Head of Sales, Yvon Gaillard, e você confere os melhores momentos abaixo.

A história do sistema tributário neozelandês e a necessidade para se adaptar ao IVA

Julia explica que os impostos na Nova Zelândia não foram criados de maneira estruturada. O governo adicionava novos impostos conforme a necessidade para manter a economia.

Como funciona a tributação na Nova Zelândia?

Vale citar que o IVA já é um modelo bastante comum em outros lugares, como Canadá, Índia e países da União Europeia. Inclusive, o Brasil é o único país do Mercosul que não possui um imposto simplificado como o IVA.

Por que a Nova Zelândia é um sucesso?

Segundo Julia, o fator de êxito na economia da Nova Zelândia se deve a um sistema tributário simples e justo.   

Sistema tributário do Brasil tem qualidades?

Infelizmente nosso país é um dos campeões em burocracia, mas será que é possível apontar qualidades no sistema tributário brasileiro? Veja o vídeo para conhecer a opinião da economista Julia Padula, talvez você fique surpreso.

Imposto sobre valor agregado é um caminho

O Brasil enfrenta um desequilíbrio estrutural das contas públicas, taxas elevadas de desemprego e um sistema tributário confuso. Um cenário parecido com o que vivenciou a Nova Zelândia há algumas décadas.

Uma saída para solucionar essa condição seria uma reforma tributária com base em um imposto sobre valor agregado. Casos de sucesso com o IVA já existem em vários países, cabe a nós agora seguir os bons exemplos e buscar a simplicidade para um sistema tributário mais justo e melhor para todos.

Você já conhecia a reforma tributária neozelandesa? É a favor do IVA? Escreva nos comentários sua resposta.

Posts relacionados

Se o Brasil complica, Dootax existe para descomplicar!
Se o Brasil complica, Dootax existe para descomplicar!

“Mais que um software, o Dootax é um ativo de inteligência tributária que torna o processo de execução de impostos, que é sempre moroso, em um serviço simples, integralmente digital, confiável e 100% seguro” Burocracia e volatilidade, essas duas palavras conseguem definir precisamente o cenário tributário no Brasil. A pluralidade de impostos e a maneira […]

Documento de Arrecadação Estadual – DAE, DARE, DAR e outros
Documento de Arrecadação Estadual – DAE, DARE, DAR e outros

O Documento de Arrecadação Estadual, tem nomes variados de acordo com cada UF, como DAE, DARE, DAR, DUA, DARJ e etc, saiba mais sobre eles aqui.

GNRE-RJ
GNRE-RJ

O Rio de Janeiro não faz parte do convênio nacional para emissão de GNRE pela SEFAZ-PE. A GNRE-RJ deve necessariamente ser emitida na própria SEFAZ-RJ.