Blog

Retenção do imposto sobre serviços (ISS)

Tempo de leitura: 3 minutos

O recolhimento do imposto sobre serviços (ISS) é uma rotina comum para as empresas que trabalham com a prestação de serviços, certo? Porém, existem diversas dúvidas sobre o cumprimento correto das obrigações relacionadas a esse imposto – incluindo as situações de retenção.

Considerando que o ISS é um tributo municipal, o que será que acontece quando uma empresa realiza uma prestação de serviço em outro município? É exatamente para resolver esses casos que ocorre a retenção do imposto sobre serviços.

Neste artigo entenderemos melhor como funciona o processo de retenção do ISS. Confira.

O que é o imposto sobre serviços?

O imposto sobre serviços é um tributo que incide sobre o valor dos serviços prestados por profissionais autônomos ou pessoas jurídicas brasileiras. Sempre que ocorre uma situação de prestação de serviços, é necessário recolher uma parcela do valor recebido para os cofres do município.

Esse é um tributo que surgiu ainda no ano de 1808, quando a família Real veio para o Brasil. Nessa época, foi necessário criar novos impostos por conta dos gastos da transferência da corte portuguesa para o Brasil. E um dos tributos previstos para ajudar a arcar com esses gastos foi o ISS.

Atualmente, o imposto sobre serviços é gerido pela Lei Complementar 116/2003 e pela Lei 11.438/1997 – que explica quais são todas as regras e atividades que se enquadram nesse tributo. Além disso, ainda é preciso acompanhar a legislação própria de cada município – que pode prever particularidades especiais.

O que é a retenção do ISS?

Você sabe o que acontece quando uma empresa presta um serviço em local diferente do seu estabelecimento? Essa é uma das principais dúvidas entre as empresas que realizam prestação de serviços. E a resposta está justamente na retenção do ISS.

A retenção do imposto sobre serviços é um mecanismo que deve ser usado quando o serviço é realizado em local diferente do estabelecimento prestador. Nessas situações, o tributo é devido no local de prestação – e fica sob responsabilidade do contratante. Entretanto, é preciso ficar de olho nas exceções.

Além disso, é preciso ter atenção especial quando a empresa prestadora do serviço é optante pelo Simples Nacional. Em casos previstos na lei, o recolhimento é feito pelo tomador e a alíquota aplicável deve ser informada na nota fiscal de serviço, de acordo com a sua faixa de enquadramento. Se houver valor retido, não ocorre incidência de ISS no Simples Nacional. Porém, quando o percentual recolhido é inferior ao devido, a diferença é paga posteriormente pelo prestador para o seu próprio município.

É também importante frisar que a retenção do ISS deve estar prevista na legislação do município em que foi prestado o serviço. Quando isso não acontece, o imposto não deve ser recolhido pelo tomador.

Imposto Sobre Serviços
Photo by Kelly Sikkema on Unsplash

Serviços que podem ter a retenção do ISS

São vários os serviços que podem ter a retenção do imposto sobre serviços. Porém, não existe uma lista que prevê quais são todos essas atividades. Por isso, é fundamental analisar quais são as regras para o recebimento do ISS de cada município.

Mesmo considerando as diferenças que ocorrem entre um município e outro, é possível destacar os principais serviços que costumam prever a retenção do ISS. Veja alguns deles:

  • Serviços de demolição
  • Serviços de depósito, carga e descarga
  • Serviços de edificações em geral
  • Serviços prestados por empresa estrangeira
  • Serviços de limpeza e manutenção em geral
  • Feiras de exposição e congressos
  • Serviços relacionados ao lazer e entretenimento
  • Fornecimento de mão de obra temporária ou não

Por que apostar na automação do ISS?

Independentemente da retenção do imposto sobre serviços ou não, a rotina de realizar o cálculo do imposto devido para cada prestação de serviço realizada demanda tempo e recursos, não é? A solução encontrada por muitas organizações é a automação do ISS – garantindo que o cálculo e o pagamento do imposto sejam realizados automaticamente, sem a necessidade de intervenção humana ao longo de todo o processo.

Com isso, você pode ter acesso a vários benefícios:

  • Aumento da produtividade
  • Redução de custos
  • Redução de falhas humanas
  • Padronização de processos
  • Compliance fiscal

Já pensou em automatizar o recolhimento de ISS? Com a Dootax é possível colocar isso em prática com muita facilidade. Visite a nossa página e descubra como as soluções Dootax podem ajudá-lo.

Compartilhe
Avatar
Sobre o autor

Thiago Souza

Deixe uma resposta

Posts relacionados

Dootax: Funcionalidades da plataforma de automação fiscal
Dootax: Funcionalidades da plataforma de automação fiscal

Você conhece a Dootax? Conheça todas as funcionalidades que esta plataforma de automação fiscal pode proporcionar para sua empresa.

GNRE-SP
GNRE-SP

Continuando nossas matérias sobre as UFs que não fazem parte do convênio para emissão de GNRE pela SEFAZ-PE, vamos falar agora da GNRE-SP.

Imposto Único
Imposto Único

Conheça a proposta de reforma tributária para a criação do Imposto Único e entenda a diferença entre Imposto Único e IVA.