Blog

Calculadora de Tempo Desperdiçado

Tempo de leitura: 4 minutos

Você sabe quanto tempo sua equipe perde apenas preenchendo guias tributárias? Para encontrar a resposta, a Dootax criou a Calculadora de Tempo Desperdiçado!

Trata-se de uma ferramenta para ajudá-lo a descobrir este custo oculto do departamento fiscal e tributário. Afinal, a emissão de guias pode tomar um tempo precioso dos profissionais – que poderiam usar essas horas para realizar outras atividades de maior valor estratégico.

Confira a seguir como a Calculadora de Tempo Desperdiçado pode ajudá-lo a reduzir custos e aumentar a produtividade do setor fiscal!

Calculadora de Tempo Desperdiçado

A importância de agilizar os processos tributários

O tempo desperdiçado com as rotinas tributárias se torna um tópico tão importante por conta de toda a complexidade do sistema tributário brasileiro. Afinal, não é à toa que o Brasil foi apontado na segunda colocação entre os países que têm a maior complexidade para cumprir com obrigações contábeis e fiscais – segundo o Índice de Complexidade Financeira de 2017, que comparou 94 países.

Além da alta carga de tributos, as empresas ainda precisam lidar com diferentes regras para o cumprimento das obrigações tributárias. Um bom exemplo disso são os tributos sobre bens e serviços (PIS, COFINS, IPI, ICMS e ISS), que possuem regras próprias e requerem conhecimento específico sobre as características de cada um deles.

Isso inclui benefícios fiscais, regimes especiais, isenções e reduções de bases de cálculo. Para manter-se em dia com a legislação, é preciso acompanhar diversas leis, decretos, regulamentos e portarias emitidas nas três esferas de governo: União, Estados e Municípios.

Principais tributos do Brasil

Quando falamos sobre o tempo gasto apenas preenchendo guias tributárias, é importante visualizarmos o grande número de tributos que devem ser pagos pelas empresas brasileiras. Veja quais são os principais deles:

Tributos municipais

  • Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS): tem como base de cálculo a prestação de serviço, seja por empresas ou profissionais autônomos. Representa o valor cobrado pelo serviço, e a alíquota varia de acordo com o município em que está localizada a organização, tipo de atividade, se possui incentivo fiscal ou não.
  • Imposto sobre Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU): todas as empresas que têm a propriedade, o domínio útil ou a posse de propriedade imóvel devem pagar o IPTU. A base de cálculo do tributo é o valor venal do imóvel, e a alíquota varia de acordo com o município.

Tributos estaduais

  • Imposto sobre a Circulação de Mercadorias Serviços (ICMS): incide sobre a circulação de mercadorias em território nacional. A sua base de cálculo é o montante da operação (incluindo o frete e despesas acessórias), e a sua alíquota varia entre 7% e 20%, de acordo com o estado de origem e de destino – com uma alíquota diferenciada para operações com o exterior, que é de 4%.
  • Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA): incide sobre a propriedade de veículos automotores terrestres. Ele deve ser pago anualmente, a partir de uma alíquota que incide sobre o valor venal do veículo em questão também, de acordo com cada UF.
  • Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza (FECP): tem como objetivo minimizar as desigualdades sociais. A sua cobrança é feita por meio da adição de uma alíquota no ICMS – entre 1% e 4%, que pode sofrer variações conforme o produto comercializado e a legislação de cada estado.

Tributos federais

  • Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI): incide sobre os produtos industrializados. Possui uma alíquota que varia de acordo com o que é vendido (chegando a mais de 300% em alguns casos) e tem a sua base de cálculo de acordo com o preço de venda, mas pode sofrer variações.
  • Imposto de Importação (II): incide sobre a importação de produtos estrangeiros.
  • Imposto de Exportação (IE): cobrado pela exportação de produtos por empresas brasileiras, incidindo sobre o valor final do produto.
  • Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ): incide sobre a renda bruta de empresas de todos os portes e segmentos do mercado nacional. O IRPJ possui um funcionamento e alíquotas que varia de acordo com o enquadramento tributário de cada empresa.
  • Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS): é uma contribuição cobrada de empresas brasileiras de todos os portes, com exceção daquelas enquadradas no Simples Nacional. A base de cálculo é a receita operacional bruta, e sua alíquota pode ser de 3% ou 7,6% – de acordo com a modalidade da empresa.
  • Programa de Integração Social (PIS): outra contribuição instituída pela União que incide sobre a receita operacional bruta, com alíquotas que podem ser de 0,65% ou 1,65%, de acordo com a modalidade da empresa.
  • Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL): tributo que incide sobre o lucro líquido auferido pelas empresas optantes pelo Lucro Real, Presumido ou Arbitrado. Assim como o IRPJ, a CSLL também possui alíquotas que variam de acordo com o enquadramento tributário e com a atividade desenvolvida.
calculadora de tempo desperdiçado
Gráfico foto criado por 8photo – br.freepik.com

Calculadora de Tempo Desperdiçado: a ferramenta para descobrir o custo oculto do departamento tributário

E aí, você está preparado para descobrir o tempo que sua equipe está perdendo apenas para preenchias guias fiscais? Então você precisa usar a Calculadora de Tempo Desperdiçado!

Essa ferramenta vai mostrá-lo quanto tempo sua empresa gasta emitindo guias tributárias e os custos ocultos para o departamento fiscal e tributário. E tudo isso em apenas 2 minutinhos.

Acesse agora mesmo a Calculadora de Tempo Desperdiçado!

Compartilhe
Sobre o autor

Carlos Lima

Deixe uma resposta

Posts relacionados

O que é IPI?
O que é IPI?

Neste artigo vamos compreender de uma vez por todas o que é IPI e todas informações importantes sobre este imposto. Confira!

Guerra Fiscal
Guerra Fiscal

Você sabe o que é Guerra fiscal? Quais os problemas dessa disputa pode trazer ao Brasil e como o governo vem trabalhando para evitar esse tipo de situação?

GNRE em atraso? Saiba como pagar as guias em dia
GNRE em atraso? Saiba como pagar as guias em dia

GNRE em atraso é um problema frequente nos departamentos fiscais das empresas brasileiras. Saiba como resolvê-lo de uma vez por todas.

Escritórios