Blog

Erros que atrapalham e geram custos para área fiscal

Tempo de leitura: 3 minutos

A área fiscal é responsável por diversos processos vitais para qualquer organização. Porém, também é uma área que sofre com diversas complicações no dia a dia de trabalho – principalmente pela falta de investimentos em novas estratégias, novas tecnologias e novos modelos de fluxo de trabalho.

Você já enfrentou problemas graves que surgiram por pequenas falhas de comunicação ou por conta de profissionais sobrecarregados? Essas situações ainda são muito comuns nas empresas brasileiras – que precisam lidar com um complexo e oneroso sistema fiscal.

Uma simples falha na emissão de uma guia de recolhimento ou uma confusão no armazenamento dos documentos fiscais podem ser responsáveis por consequências muito negativas. Afinal, a fiscalização sempre trabalha pesado para identificar falhas nos procedimentos contábeis e fiscais.

Mas você sabe quais são os principais erros que atrapalham e geram custos para a área fiscal? Descubra logo a seguir.

Principais erros que geram custos para área fiscal

Existem vários erros bastante comuns dentro da área fiscal que consomem recursos preciosos e afetam a produtividade de todos. E conhecê-los é a melhor forma de identificá-los na sua organização.

1. Falta de tempo

via GIPHY

A área fiscal requer que os profissionais dediquem-se diariamente no trabalho. São várias demandas surgindo a todo instante – e a demora na realização dos processos pode causar problemas no futuro.

Portanto, é fundamental que toda a equipe seja eficiente no gerenciamento do seu tempo para que o trabalho seja realizado dentro dos prazos. Quando isso não acontece, a produtividade de todos pode ficar comprometida – além de gerar gastos extras com juros e multas por atraso.

2. Falhas de comunicação

As falhas de comunicação geram um prejuízo inestimável na área fiscal. Conforme acabamos de ver, o tempo é um ponto-chave, certo? Mas esse tempo precisa ser usado corretamente para evitar situações de retrabalho ou informações equivocadas.

Você já teve que lidar com dois funcionários que estavam realizando exatamente a mesma tarefa? Ou então teve problemas na troca de informações entre os membros da equipe, gerando atrasos no trabalho? Quanto menores forem os ruídos na comunicação, maior pode ser a eficiência de todos.

3. Demora na atualização

A área fiscal precisa estar sempre atenta às novidades. São muito frequentes as alterações na legislação – que levam a mudanças no recolhimento de tributos, obrigações acessórias ou entregas de declarações.

Quando os profissionais demoram para assimilar as mudanças, podem continuar trabalhando de forma equivocada e gerar situações de retrabalho. Além disso, a não observância de todas as exigências legais pode levar a gastos extras com multas, juros e outras penalidades.

4. Processos desorganizados

Como você avalia o fluxo de processos na área fiscal da sua empresa? Em meio a tantas atividades realizadas no dia a dia, muitos gestores não tiram um tempo para avaliar como poderiam melhorar os processos internos – eliminando tarefas desnecessárias e aumentando a produtividade de todos.

O objetivo é que todos os membros da equipe saibam exatamente que papel devem desempenhar e todas atividades sigam um fluxo lógico. Assim, você minimiza as chances de falha e garante que as operações funcionem com eficiência.

5. Desatualização tecnológica

via GIPHY

As tecnologias geraram uma grande revolução dentro das organizações brasileiras nos últimos anos. E essas mudanças também chegaram na área fiscal. Já existem várias plataformas digitais que permitem a automação de processos e outros ganhos nas operações desenvolvidas.

Por outro lado, as empresas que não acompanham as novas tendências são deixadas para trás. Manter os processos manuais e repetitivos faz com que as atividades levem mais tempo para serem desenvolvidas e tenham chances maiores de erros – atrapalhando o desenvolvimento das atividades e elevando os custos.

Automatize para corrigir os erros!

A área fiscal precisa lidar com muitas atividades para garantir o compliance fiscal da organização, não é? São várias exigências federais, estaduais e municipais que devem ser observadas.

Um ótimo caminho para lidar com toda essa complexidade é a automação de processos. Com o uso de soluções digitais, você pode reduzir ou eliminar os processos manuais. E os benefícios disso são muito atrativos:

  • Redução do tempo necessário para execução de várias rotinas – aumentando a produtividade
  • Facilidade em garantir o compliance fiscal
  • Eficiência no pagamento de tributos
  • Redução de custos com mão de obra
  • Possibilidade de proporcionar a integração de informações
  • Melhoria da comunicação interna
  • Aumento da segurança das informações

A Dootax é uma empresa especializada em soluções que facilitam as operações na área fiscal – permitindo a automação de diversos processos. Com o uso da tecnologia, é possível combater os principais erros que atrapalham suas atividades e reduzir vários custos.

Quer conhecer melhor os recursos das soluções Dootax? Então entre em contato com a nossa equipe.

Compartilhe
Avatar
Sobre o autor

Thiago Souza

2 comentário(s)
  1. Avatar Simone disse:

    Bom dia,

    Gostaria de receber um contato para conhecer um pouco mais das ferramentas que vocês disponibilizam e avaliar se alguma pode nos ajudar.

    Hoje utilizamos o ERP TOTVS Datasul na empresa.

    1. Avatar Carlos Lima disse:

      Oi, Simone. Tudo bem? Nossa equipe entrará em contato com você.
      Abs

Deixe uma resposta

Posts relacionados

Como foi o IBS Tech 2019
Como foi o IBS Tech 2019

No dia 29 de julho aconteceu o IBS Tech. A Dootax, em parceria com a Cescon Barrieu, organizou o evento que abordou o Imposto sobre Operações com Bens e Serviços (IBS), reforma tributária e teve como convidados especiais os diretores do Centro de Cidadania Fiscal (CCiF). O local escolhido foi, mais uma vez, o Cubo Itaú. […]

GNRE-SP
GNRE-SP

Continuando nossas matérias sobre as UFs que não fazem parte do convênio para emissão de GNRE pela SEFAZ-PE, vamos falar agora da GNRE-SP.

Bahia publica legislação regulamentando a NFC-e
Bahia publica legislação regulamentando a NFC-e

Estado participante do projeto piloto da NFC-e, a Bahia agora oficializa sua adesão ao modelo NFC-e com a publicação do Decreto 15.490/2014. A SEFAZ/BA informa que o implantação da NFC-e no estado deve iniciar já no segundo semestre de 2014, com previsão de liberação do calendário de obrigatoriedade em 2015. Acesse agora o hotsite da […]